A Radiologia intervencionista utiliza os métodos de imagem para guiar seus procedimentos. Ao contrário das cirurgias convencionais não é necessário incisões para realizar estes procedimentos, uma vez que utilizamos as imagens de radiografia, de tomografia ou de ultrassonografia para mostrar onde precisamos chegar. Esta forma de se realizar os tratamentos é portanto, pouco agressiva, permitindo menor tempo de internação, recuperação mais rápida e menor tempo de afastamento das atividades habituais.

Nossa especialidade trata diversas doenças através desta técnica, interagindo com as diversas especialidades médicas com objetivo de realizar o melhor tratamento para cada caso. Assim, atuamos nos diversos sistemas e órgãos do corpo humano.

A seguir algumas das indicações de procedimentos realizados por cateter, de acordo com o sistema ou órgão do corpo envolvido.

Doenças ginecológicas e complicações do parto:

  • Tratamento por embolização do mioma uterino;
  • Tratamento por embolização das varizes pélvicas;
  • Prevenção e tratamento da hemorragia pós-parto (placenta acreta);
  • Tratamento da hemorragia após cirurgia ginecológica.

Doenças vasculares:

  • Tratamento das obstruções (trombose ou estenose) dos vasos por angioplastia e implante de stent;
  • Tratamento da isquemia (redução da circulação);
  • Tratamento de aneurisma ou “dilatação” de aorta e de outras artérias;
  • Tratamento da dissecção de aorta;
  • Tratamento da coarctação de aorta;
  • Tratamento das malformações vasculares;
  • Implante de filtro de veia cava para prevenção de embolia pulmonar;
  • Fibrinólise ou trombólise intravascular na oclusão arterial aguda;
  • Fibrinólise ou trombólise intravascular na trombose venosa profunda.

Doenças do nariz, faringe e laringe:

  • Tratamento da epistaxe (sangramento nasal) de difícil controle (tumores, trauma, etc.);
  • Embolização pré-operatória de tumor com elevado risco de hemorragia durante a cirurgia.

Doenças do estômago e intestinos:

  • Localização e/ou tratamento das hemorragias digestivas (hemorragia digestiva alta, hemorragia digestiva baixa);
  • Tratamento do hiperesplenismo;
  • Drenagem percutânea de coleções intra-abdominais (abscesso, hematoma, linfocele, etc);
  • Tratamento da estenose ou “estreitamento” de esôfago;
  • Gastrostomia e gastrojejunostomia percutânea para alimentação por sonda.

Doenças do Fígado:

  • Quimioembolização de tumor do fígado;
  • Embolização da veia porta antes de cirurgia para retirada de parte do fígado;
  • Drenagem da via biliar, stent biliar e extração de cálculos residuais via percutânea;
  • Ablação de tumor de fígado por radiofrequência;
  • Shunt Portosistêmico Intra-Hepático Transjugular (TIPS).

Doenças hematológicas ou do sangue:

  • Embolização esplênica no tratamento da talassemia maior, plaquetopenia e púrpura trombocitopênica idiopática, bem como previamente ao uso de drogas mielodepressoras para melhora do número de plaquetas, leucócitos e hemácias.

Doenças do Rim:

  • Angioplastia renal para tratamento da hipertensão renovascular e nefropatia isquêmica;
  • Coleta de renina nas veias renais;
  • Tratamento das disfunções das fístulas arteriovenosas e dos cateteres de hemodiálise;
  • Acesso venoso central para hemodiálise.
  • Doenças do Pulmão, traqueia e Brônquios
  • Tratamento do sangramento pulmonar ou brônquico ;
  • Tratamento da embolia pulmonar maciça;
  • Prevenção da embolia pulmonar com implante de filtro de veia cava;
  • Tratamento das estenoses traqueal e brônquica.
  • Ablação percutânea de Tumor de Pulmão.

Doenças urológicas:

  • Tratamento da varicocele ou varizes do testículo;
  • Tratamento da hemorragia urinária (da bexiga ou do rim);
  • Tratamento do angiomiolipoma renal;
  • Ablação percutânea de Tumor de rim;
  • Nefrostomia percutânea.
  • Doenças do Osso:
  • Vertebroplastia (tratamento percutâneo de fraturas patológicas da coluna);
  • Embolização de tumor ósseo pré-operatório ou para controle da dor.

Doenças neurológicas:

  • Angioplastia de carótida e de vasos intracranianos;
  • Embolização de malformaçãos vasculares e aneurismas cerebrais;
  • Tratamento endovascular de resgate no AVC isquêmico agudo.

Doenças Hormonais:

  • Cateterismo venoso seletivo para dosagens hormonais.

Traumatismos:

  • Tratamento das lesões vasculares e hemorragia interna (de órgãos no interior do abdome ou tórax) provocadas por acidentes ou violência urbana.