42016set

Tratamento do Tumor de Fígado – Radioblação

O Hepatocarcinoma é o tumor maligno primário mais frequente do fígado. Tem alta mortalidade por ser muito agressivo. O principal fator de risco para o seu desenvolvimento é a cirrose hepática associada a infecção pelos vírus B ou C da hepatite e/ou ao consumo de bebidas alcoólicas.

Atualmente dois procedimentos minimamente invasivos guiados protagonizam o tratamento do hepatocarcinoma, com seus papéis bem estabelecidos na literatura médica mundial – a ablação por Radiofrequência e a quimioembolização.

Tratamentos percutâneos

  • Radioablação
  • Quimioembolização

No tratamento de tumores menores que 3 cm, a radioablação destes tumores tem mostrado resultados curativos similares ao da cirurgia aberta convencional. Levando em consideração o caráter pouco invasivo deste tipo de tratamento, a radioablação pode ser indicada mesmo em pacientes graves que não suportariam uma cirurgia convencional. O procedimento é realizado através de uma punção através da pele do abdome com uma agulha que é avançada até o interior do tumor sob visualização de imagens de ultrassonografia ou tomografia computadorizada. Guiado por estas imagens, existe total precisão em se posicionar a ponta da agulha no interior do tumor, não sendo necessário qualquer tipo de incisão ou cortes. A agulha é então conectada a uma fonte de energia a fim de ser gerado calor na ponta da agulha, promovendo destruição do tumor.

Radioblação

hcc-300x213No tratamento de tumores menores que 3 cm, a radioablação destes tumores tem mostrado resultados curativos similares ao da cirurgia aberta convencional. Levando em consideração o caráter pouco invasivo deste tipo de tratamento, a radioablação pode ser indicada mesmo em pacientes graves que não suportariam uma cirurgia convencional. O procedimento é realizado através de uma punção através da pele do abdome com uma agulha que é avançada até o interior do tumor sob visualização de imagens de ultrassonografia ou tomografia computadorizada. Guiado por estas imagens, existe total precisão em se posicionar a ponta da agulha no interior do tumor, não sendo necessário qualquer tipo de incisão ou cortes. A agulha é então conectada a uma fonte de energia a fim de ser gerado calor na ponta da agulha, promovendo destruição do tumor.

Paciente com tumor tratado por radioablação

Paciente com tumor tratado por radioablação



Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão destacados. *